terça-feira, março 25, 2008


Tudo dentro em mim flutua
Não existe peso de nada, assim como não há prego que se detenha, ou finca que se assente.
Só fluídos, vozes soltas, emaranhados de pensamentos, palavras despregadas, frases sem nexo..
Fecho a porta e me detenho nesse imenso e vasto vão que caminha meio sem chão, sem direção certa, passos desconectos, incertos...
E eis que surge um som diferente, lá fora...um sussuro que veio com o vento..os bons ventos do sul, do norte, do leste e do oeste..ventos que trazem um novo ar, a esperança..
Abro a janela e um raio do imponente sol perspassa todas as frestas encobertas, a penumbra aos poucos dá lugar a uma luz brilhante, é a vida que novamente invade a casa...

Um comentário:

Mine disse...

Seus textos sempre me fazem refletir sobre alguma coisa. Eles me inspiram.

Amo vc.